Fechar busca

Digite o nome do produto

Digite o nome do produto e toque em Ir ou selecione um produto da lista.
R$ 0,00

Meu Carrinho

Indique amigos e ganhe créditos em nossa loja!

A Dra. Karin Paciulo dá algumas dicas de alimentação que podem melhorar os picos de ansiedade.

 

Apresentação de um projeto, data de uma prova, a realização de um evento ou de um encontro. Vários fatores podem disparar aquela inquietação que nos deixa com o coração disparado e até sem dormir: a famosa ansiedade.

 

A ansiedade é um distúrbio emocional que tem como principal característica uma agitação interior e o medo excessivo do futuro. 

 

Se por um lado algumas pessoas têm esse sentimento disparado por algum evento externo, cada vez mais, é possível se deparar com pessoas que sofrem de ansiedade sem terem algum fator muito evidente relacionado.

 

“Somente 20 a 40% dos casos de ansiedade estão relacionados a fatores genéticos, por isso, nossa alimentação pode ajudar nessa questão”, comenta a Karin Paciulo, doutora em nutrição funcional à frente do cardápio da 2Marias.

 

As crises ansiosas geram sintomas como:

 

- Preocupação excessiva;

- Respiração ofegante ou falta de ar;

- Comportamento nervoso;

- Boca seca;

- Sensação de cansaço;

- Sudorese (aumento do suor);

- Insônia.

 

No bate-papo de hoje, levantamos algumas dicas de alimentação que podem melhorar os picos dessas crises ansiosas. 

 

 

- Como a alimentação interfere na vida de uma pessoa ansiosa?

 

Uma má alimentação pode desequilibrar a produção hormonal do nosso organismo, incluindo a produção de importantes neurotransmissores para sensação de bem-estar, como a serotonina e a dopamina. Esses neurotransmissores são produzidos no nosso organismo através de alimentos que possuem os nutrientes precursores desses hormônios. 

 

- Picos de ansiedade podem estar atrelados aos diferentes alimentos consumidos em determinada semana/fim de semana?

 

Sim. Muitas vezes no fim de semana a pessoa acaba exagerando, consumindo alimentos mais gordurosos e bebidas alcoólicas, e aí, chega na segunda-feira, a pessoa está mais ansiosa, se sentindo mal, com baixa produção de serotonina e baixa sensação de bem-estar. Isso não tem somente a ver com a alimentação, mas ela contribui muito nesse quadro.

 

- É verdade que a cafeína é uma substância "perigosa" para que sofre de ansiedade?

 

 A cafeína é um estimulante cerebral, então sempre que a pessoa apresenta um quadro de ansiedade, o ideal é que ela substitua a cafeína por chás calmantes, por exemplo melissa, passiflora, camomila, que são plantas que ajudam a dar uma acalmada.

 

- Existem outros alimentos que devem ser retirados (ou diminuídos) da dieta de uma pessoa ansiosa? Se sim, quais são eles?

 

Alimentos industrializados, processados, bebidas alcoólicas, alimentos muito gordurosos e açúcar. O açúcar é um perigo, um dos piores alimentos na dieta dessas pessoas. Isso porque, quanto mais você o consome, mais você quer consumir. A ansiedade te leva a ingerir mais açúcar e o açúcar te leva a mais ansiedade. 

 

 

 

- Por outro lado, alguns alimentos podem ajudar a diminuir a ansiedade? 

 

Alimentos considerados “calmantes” podem ajudar bastante na diminuição da ansiedade. Além dos chás, a alface e o espinafre são aliados nesse controle de crises ansiosas. Também podemos investir em alimentos ricos em triptofano, com castanhas, ovos, grãos em geral, banana, abacate. O triptofano é o principal nutriente precursor para formação da serotonina, então esses alimentos ajudam muito nesse quesito. As carnes também são fontes de triptofanos, mas, nesse caso, devemos dar preferência sempre para as mais magras.

 

 

2Marias

 

Para ficar longe da alimentação industrializada e processada, uma opção prática é investir em refeições prontas e congeladas orgânicas. A 2Marias tem um cardápio variado e saboroso com pratos preparados exclusivamente com ingredientes orgânicos, proporcionando mais saúde e bem-estar ao seu dia a dia. Acesse nosso site e confira o menu completo.