Fechar busca

Digite o nome do produto

Digite o nome do produto e toque em Ir ou selecione um produto da lista.
R$ 0,00

Meu Carrinho

Indique amigos e ganhe créditos em nossa loja!

Assim como em muitos aspectos da nossa vida, a máxima de que “a pressa é inimiga da perfeição” também vale quando falamos em emagrecer.

 

A perda de peso lenta e gradual costuma ser desafiadora e até um pouco desmotivadora para muitas pessoas, mas, a verdade é que ela é muito mais efetiva do que emagrecer “tudo de uma vez”. 

 

De acordo com a nutricionista Karin Paciulo, doutora em nutrição funcional à frente do cardápio da 2Marias, esse é um dos motivos pelos quais os especialistas defendem a reeducação alimentar ao invés de dietas restritivas na hora de fazer um paciente emagrecer.

 

“A reeducação torna a alimentação saudável um hábito e, por isso, a perda de peso e a manutenção desse peso na balança é muito mais certa, já que ocorre, realmente, a quebra de gordura”, explica Karin.

 

A doutora ressalta, ainda, que a ideia de ficar com o corpo mais magro para a chegada do Verão costuma levar muitas pessoas a cometerem grandes equívocos na hora de escolher o que comer (ou não comer), e que é preciso ficar atento para não sofrer com os “efeitos rebotes” daquelas dietas famosas do Instagram e das capas de revista.

 

No bate-papo de hoje, falamos sobre o famoso “Projeto Verão” e o emagrecimento saudável.

 

- Muitas dietas da moda prometem uma grande perda de peso logo nos primeiros dias ou nas primeiras semanas, quais os impactos desse emagrecimento rápido no organismo?

 

Essas dietas da moda, em geral, costumam ser bem restritivas, tanto em termos de calorias quanto em termos de alimentos mesmo. O que acontece nos primeiros dias é que a pessoa desincha, ou seja, ela perde bastante líquido, e aí é lógico que ela vai emagrecer e ter uma percepção de balança. 

 

No entanto, a longo prazo, depois de algumas semanas fazendo essa dieta, a pessoa com certeza vai deixar de se nutrir adequadamente, tendo não só uma perda de gordura, mas também de massa magra. Isso porque ela deixa de ingerir alimentos que são importantes para o metabolismo e para o funcionamento dos órgãos. 

 

Outro ponto é que ela vai desequilibrar o centro fome e saciedade, que fica no Sistema Nervoso, e a produção dos hormônios. Logo, em um dado momento, ela não vai aguentar ficar nessa dieta restritiva e o cérebro dela vai “implorar por alimento”, principalmente pela glicose, que tende a ser a maior restrição dessas alimentações para emagrecer, e isso vai gerar uma compulsão alimentar. 

 

Essa compulsão é uma espécie de defesa que o corpo cria, com o intuito de sanar toda a falta que ele passou por um bom período. Então a pessoa começa a comer muito mais do que comia antes, principalmente carboidratos, porque o corpo vai tentar repor essa energia, que deixou de ser consumida de forma errada e até agressiva para o organismo. Enfim, essas dietas acabam ocasionando um total desequilíbrio do metabolismo, a tal ponto que, em certo momento, nem essas mesmas dietas malucas conseguirão fazer ela emagrecer.

 

- Por que algumas pessoas têm mais facilidade para perder peso do que as outras? 

 

Isso é uma questão de biótipo, de características genéticas. Cada um tem um metabolismo que funciona de uma maneira, e algumas pessoas têm um metabolismo mais acelerado. Essas pessoas obviamente vão emagrecer com mais facilidade do que outras. Outros fatores que influenciam nesse metabolismo são idade, gênero, vários aspectos.

 

 

- É verdade que emagrecer muito rápido leva a uma maior tendência de ganhar peso de volta? Por que isso acontece?

 

Quando a pessoa faz uma dieta de restrição muito grande, com perda de peso muito rápida, a célula de gordura do tecido adiposo só “murcha”, mas ela continua ali. Ela não tem uma quebra dessa gordura de fato. E aí, quando ela desencadeia o “efeito rebote” da restrição alimentar, aquele processo de defesa do corpo de compulsão alimentar, ela vai comer o dobro, literalmente. Então, ela pode não só ganhar peso muito rápido, como ganhar mais peso do que ela tinha antes.

 

- Alimentação saudável x atividade física. Quanto cada um desses hábitos auxilia no processo de emagrecimento?

 

A soma dos dois é o que realmente funciona para emagrecer. Esses dois hábitos precisam andar juntos. O resultado do exercício ele depende da alimentação, em torno de 60%. Então, não adianta você praticar exercício físico, mas comer em excesso, porque você não vai ter resultado.

 

A atividade física contribui para o aumento do gasto energético e a alimentação saudável para o equilíbrio dos macro e dos micronutrientes que esse indivíduo vai consumir. Por isso, os dois juntos, feitos de forma adequada e individualizada, considerando a rotina e os hábitos de cada um, é o que realmente funciona para a pessoa emagrecer de forma eficiente e definitiva.

 

- Qual a sua recomendação para um "Projeto Verão" saudável e de sucesso?

 

O “Projeto Verão” não pode começar perto e, muito menos, já no Verão. Se o nosso objetivo é emagrecer para o Verão, minha recomendação é que essas mudanças tenham início o quanto antes. 

 

Mas, falando de uma forma mais abrangente, eu recomendaria, principalmente, que as pessoas entendam que a alimentação saudável e a prática de atividade física devem ser para a vida, e não só para o “Projeto Verão”. Que elas façam dessas práticas, de fato, hábitos novos, presentes no dia a dia, para que elas não fiquem emagrecendo e engordando, conforme a estação do ano.

 

2Marias

 

O controle exato de calorias e nutrientes está presente em todas as refeições e kits preparados na 2Marias, pela Dra. Karin Paciulo.

 

Seja na linha para emagrecer e até mesmo nas combinações vegetarianas, veganas, detox ou low carb, todo o cardápio é balanceado para que o seu corpo reaja de uma forma saudável à sua nova alimentação. 

 

Além disso, o uso exclusivo de ingredientes orgânicos evita o desequilíbrio hormonal ocasionado pelo consumo excessivo de agrotóxicos.

 

Conheça nossas receitas e inicie seu “Projeto Verão” com saúde e o sabor de 2Marias.