Fechar busca

Digite o nome do produto

Digite o nome do produto e toque em Ir ou selecione um produto da lista.
R$ 0,00

Meu Carrinho

Entenda quais são os malefícios de comer alimentos fritos e confira outras formas de substituir este modo de preparo

 

No Brasil e no mundo, a fritura é uma das formas mais utilizadas pelas pessoas ao se preparar um alimento. Batata, mandioca, carne, frango e peixe são alguns dos pratos mais famosos que podem ser preparados dessa maneira.

 

Porém, a fritura não pode ser classificada como um método saudável de alimentação. Para esse método de preparo é utilizado uma grande quantidade de óleo, que em excesso e em alta temperatura, pode causar diversos problemas e doenças ao corpo humano.

 

Por que a fritura faz mal?

A utilização do óleo para fritura é prejudicial para o organismo humano. Tanto pelo excesso que permanece nos alimentos, quanto pela fumaça que gerada no momento de preparo. Além da fumaça, o cheiro que deixa em locais fechados ou até nas roupas que usamos não é nada agradável.

 

Mesmo com esse panorama, alimentos fritos continuam muito populares ao redor do mundo e tendem a continuar assim. Porém, existem algumas medidas que podem ser utilizadas para diminuir e evitar problemas para o nosso organismo:

 

  1. Diferentes modos de preparo

Hoje em dia, a variedade de maneiras de preparar o mesmo alimento é quase infinita. Os alimentos podem ser grelhados, assados, cozidos, entre outras formas de preparo.

 

Além dos fatores prejudiciais ao nosso corpo, os alimentos fritos podem demorar mais para ficarem prontos e causarem muito mais sujeira na sua cozinha.

 

Outras possibilidades que estão fazendo bastante sucesso são as fritadeiras elétricas, também conhecidas como Air Fryers. Este tipo de eletrodoméstico pode substituir a fritura de forma pouco perceptível, visto que o sabor e textura ficam bem parecidos, mesmo sem a utilização do óleo.

 

  1. Utilizar óleos menos prejudiciais

Existem tipos de óleos mais adequados para fritar alimentos. Um exemplo é o óleo de coco, que além de gerar benefícios ao matar bactérias e vírus prejudiciais ao corpo humano, é muito resistente ao calor. Quando aquecido, o óleo de coco resiste a temperaturas altas sem afetar a sua qualidade.

 

Lembrando que a quantidade e a temperatura do óleo é o que realmente vai determinar o nível de malefícios. Por isso, busque sempre utilizar porções com menos quantidade e aquecê-lo na temperatura ideal para determinado alimento.

 

  1. Evitar a reutilização de óleo

Reaproveitar óleo já utilizado não é recomendado em nenhuma situação. Quanto mais se utiliza o mesmo óleo, mais toxinas são liberadas e mais danos são causados ao organismo.

 

Além de não reutilizar, existem formas corretas de se dispensar o óleo. O ideal é aguardá-lo esfriar, passar para um recipiente limpo e jogar no lixo reciclável, para que seja reaproveitado de maneira correta e ajudando o meio ambiente.

 

Outra dica muito importante é nunca dispensar o óleo na pia. Ao se fazer isso constantemente, existe o grande risco de ir para o esgoto contaminar os mananciais, além de entupir a caixa de gordura da sua propriedade.

 

Os alimentos fritos tendem ser mais saborosos do que outros, mas existem tantas outras maneiras de se cozinhar e tentar substituir a fritura que vale pelo menos testar uma alimentação mais saudável. A saúde de cada um deve ser um fator predominantes para certas escolhas.

 

Não é por isso que deve-se deixar de comer alimentos fritos para sempre. Porém, tudo que é consumido em excesso tende a gerar prejuízos para o corpo humano. Devemos aproveitar tudo aquilo que nos dá prazer, mas sempre com consciência e respeitando principalmente a saúde individual.